terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

"Os sapatos ficam entre os pés e o chão, no que são como as palavras. As meias entre os pés e os sapatos, como os adjetivos. Os verbos passos. Cadarços laços.
Os pés caminham lado a lado calçados. Sapatos são calçados. Porque são e porque são usados. Palavras são pedaços. Os pés descalços caminham calados."
[Arnaldo Antunes]

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Ginóide



Olhos, boca, ela é capaz de sentir o vento e tem um sistema que simula emoções.
Última geração, mas o material não é de boa qualidade e sempre precisa de reparos, mal polido, mal talhado. Por superaquecimento, as vezes entra em curto, isso acontece frequentemente, como quando entra em comflito com a linguagem de outros.
Mal tingido, sua blindagem eh escass, não tem resistencia contra sol ou agua, mas ainda assim insiste na segunda, talvez por isso se enferruge tanto.Não é um androide de guerra, não porta armas, não recebeu nenhuma órdem, não tem finalidade alguma a não ser compor um montante de outros iguais. A base a mesma, características físicas singulares .
Quando tem o sistema agredido, se formata, mas quase sempre não se tem pleno sucesso e restam partes que deviam ter sido apagadas.
Não descansa, enquanto todos dão uma pausa na operação, ela fechaos olhos e passa a acessar sua memória PROM, terá sido outrora sua carcaça para outra configurada?
.
.
.
.
.
Um andróide que se apaixona, que não se adapta à instantaneidade, que não se desgarra dos seus, que não se conecta com a interatividade, nem sequer com a rapidez de informações...

L7
Me contou o seu dia numa falsa alegria, estrategicamente montada em ti para de alguma forma me enganar,
palavras doces e um sorriso dolente a ti mesmo.
Não precisa ser assim, as mudanças que lhe pedi, não lhe devem lhe causar pena, mas lhe enternecer a alma,
não precisa ser tão instantâneo, deixe que seja mais natural....
É como se seu olhar buscasse algo diferente de sempre, agora me parece ser mais.... Divino.
Sua voz está trêmula, tens frio? Eu sim! Aqueça-me meu amor!
Estás imóvel... É nítida em ti a não aceitação...

Me fale de algo específico, suas palavras não tem sentido,
me assusta esse teu olhar vidrado e a incoerência de suas palavras, sinto tanta dor ao ouvi-las.
Não olhe para o chão, me olhe nos olhos amor.
O que é isso??? Ohh!! Um lágrima; isso é tão novo, nunca o havia visto chorar!
Quantas supresas?!!? Vejo que me trouxeste flores e como são belas,
belas como tu, nunca me dera flores, e elas e tudo o que estás fazendo é tão lindo, eu vejo verdade em teus olhos e por isso também consigo ver sua dor,
eu sempre esperei por mudanças como essas.

Eu sei meu bem! As coisas não são fáceis, mas ao contrário do que dizes
eu permaneço aqui com você, jamais te abandonei.

Que lindo!! Deitado ao chão disse meu nome em voz baixa e ...
Eu te amo!!
E foi como se eu amasse duas vezes mais, como se sentisse por mim e por você, compulsóriamente chorei também, nunca me havia dito isso,
vindo assim... com uma dor tão grande tão intensa,
sinto falta de mim mesma, você não me perdeu, eu estou aqui.
Senti um sorriso tímido lhe arrebentar da face quando afirmei, também te amo!!
Mas minhas palavras são mudas, meus toques são frios, e minhas lágrimas invisíveis.
... Não movestes os lábios, mas lhe ouvi dizer.Vou te amar além da morte...

dez_interessantes

About Author